Saltar para o conteúdo

Notas do Herbalista 6: Castanheiro

A edição desta semana das Notas do Herbalista é publicada no dia de S. Martinho, dia em que tradicionalmente se comem castanhas. Assim, debruçamo-nos hoje sobre o Castanheiro.

Originário da Ásia Menor, foram os romanos que o introduziram na Península Ibérica. O seu fruto rapidamente se tornou parte da alimentação de base do povo até à introdução da batata.

Castanheiro
Ilustração pelo Prof. Dr. Otto Wilhelm Thomé

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Ordem: Fagales
Família: Fagaceae
Género: Castanea

O Castanheiro (Castanea sativa Mill.) é uma árvore outrora comum na nossa paisagem, mas o avanço de outras espécies florestais, a doença da tinta e o abandono dos campos estão a fazer com que os soutos (para produção de castanha) e castinçais (para produção de madeira) estejam a desaparecer perigosamente.

De copa densa e arredondada o Castanheiro pode atingir até 30 metros de altura. De grandes folhas lanceoladas com o borde dentado e flores amarelo-pálido, são os seus frutos, as castanhas, envolvidos pelos ouriços que são mais rapidamente reconhecidos.

De notar que o maior Castanheiro da Europa se situa em Portugal. Na aldeia de Guilhafonso, concelho da Guarda, está há mais de 400 anos um exemplar notável que merece certamente uma visita de todos os amigos das árvores.

Usos medicinais e princípios activos:

As folhas do Castanheiro são expectorantes. A casca e os ouriços são adstringentes.
A decocção das cascas e ouriços (60g/litro) é útil internamente para as diarreias e, em gargarejos pode ser usada para as afecções da boca e garganta.
A infusão das folhas (45g/litro) é usada para tosse, bronquite e reumatismo.
A tintura pode ser usada para a tosse seca, lumbago e certos edemas.

Usos culinários:

Os frutos do Castanheiro, as castanhas, são tradicionalmente usados nos magustos, que se realizam um pouco por todo o país na primeira quinzena de Novembro.
Consomem-se, depois de secas, assadas ou cozidas, simples ou incorporadas em pratos de carne.
Ricas em féculas, açúcares e proteínas, têm um alto poder alimentício, no entanto devem ser consumidas com moderação pois são de difícil digestão, provocando gases e o inchamento do estômago se consumidas em grandes quantidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *