Saltar para o conteúdo

A Verbena é uma planta nativa da Europa que habita em entulhos, baldios, taludes e bermas de caminhos.

Em Portugal encontra-se em locais húmidos e sombrios, sebes e caminhos de quase todo o país.

Verbena
Ilustração de Johann Georg Sturm (Colorida por Jacob Sturm).

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Verbenaceae
Género: Verbena

A Verbena (Verbena officinalis L.), também conhecida por Urgebão ou Erva-sagrada, é uma planta vivaz com 35 a 80cm de altura, de caule erecto, fino, quadrangular e canelado. As folhas são opostas e lobadas. Ler artigo completo

O Cardo-mariano é uma planta nativa da Europa que habita em solos secos e rochosos.

Em Portugal encontra-se em terrenos cultivados ou incultos, sebes, entulhos e na beira dos caminhos em todo o país.

Cardo-mariano
Ilustração por Otto Wilhelm Thomé.

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Asterales
Família: Asteraceae
Género: Silybum

O Cardo-mariano (Silybum marianum (L.) Gaertn.), também conhecido por Cardo-de-santa-maria ou Cardo-leiteiro, é uma planta bienal com 30cm a 1,5m de altura, de caule erecto e robusto. As folhas são grandes e brilhantes, de cor verde com manchas brancas ao longo das nervuras com espinhos nas margens. Ler artigo completo

O Dente-de-leão é uma planta nativa da Europa que se encontra em caminhos, pastos, prados e jardins.

Em Portugal existe por todo o país.

Dente-de-leão
Ilustração de Walter Otto Müller.

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Asterales
Família: Asteraceae
Género: Taraxacum

O Dente-de-leão (Taraxacum officinale F. H. Wigg.), também conhecido por Taráxaco, Quartilho ou O-teu-pai-é-careca, é uma planta vivaz com 5 a 50cm de altura. As folhas são glabras, compridas e roncinadas, dispostas em roseta basilar densa. Ler artigo completo

A Alfazema é um planta nativa da Europa Mediterrânica que habita em solos áridos e calcários, expostos ao sol.

Em Portugal é espontânea no Centro e Sul do país e cultivada em jardins e hortas um pouco por todo o lado.

Alfazema
Ilustração por Walter Müller.

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Lamiaceae
Género: Lavandula

A Alfazema (Lavandula angustifolia Mill.*), ou Lavanda, é um subarbusto frondoso com ramos nus e erectos. As folhas são verde-acinzentadas, estreitas e lanceoladas. Ler artigo completo

1

A Erva-príncipe é uma planta perene tropical, nativa da Índia, Ceilão e Malásia.

Em Portugal encontra-se apenas cultivado.

Erva-príncipe
Fotografia por Hakcipta Yosri.

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Poales
Família: Poaceae
Género: Cymbopogon

A Erva-príncipe (Cymbopogon citratus (DC.) Stapf), também conhecido como Chá-príncipe, Capim-limão ou Chá-de-capim, é uma herbácea de folhas muito aromáticas, longas, ásperas de cor verde clara, em matas densas.

As flores formam rácimos de 30 a 60cm de comprimento. Ler artigo completo

O Tomilho é uma planta perene, nativa do Mediterrâneo, que habita em colinas áridas.

Em Portugal é subespontâneo e cultivado um pouco por todo o país.

Tomilho
Ilustração por Walter Müller.

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Lamiaceae
Género: Thymus

O Tomilho (Thymus vulgaris L.) é um subarbusto com 10 a 30cm de altura de caule lenhoso e tortuoso, com ramos erectos e compactos. As folhas pequenas e lanceoladas, esbranquiçadas na página inferior.

As flores são brancas ou rosadas, pequenas, dispostas em espiga na axila das folhas maiores. O fruto é um tetraquénio castanho. Ler artigo completo

O Orégão é uma planta vivaz, nativa do Mediterrâneo, que habita em solos pedregosos e prados solarengos.

Em Portugal encontra-se nas regiões montanhosas e cultivado um pouco por todo o país.

Orégão
Ilustração de Johann Georg Sturm (Colorida por Jacob Sturm).

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Lamiaceae
Género: Origanum

O Orégão (Origanum vulgare L.) é uma planta com 30 a 80cm de altura de caule erecto com 4 ângulos, ramoso na parte superior. As folhas são ovais e pontiagudas.

As flores são brancas ou rosadas, numerosas, dispostas em panículas terminais densas, com brácteas de cor púrpura. O fruto é um tetraquénio com cada uma das partes ovóide. Ler artigo completo

Várias espécies de plantas que já passaram por estas notas contêm Óleo Essencial. É a presença desta substância, que é diferente em cada espécie, que as torna, por definição, plantas aromáticas. A Aromaterapia é a utilização destes óleos para fins terapêuticos.

Aromaterapia
Óleos essenciais e queimador.

Apontamentos históricos

O uso das plantas e do seu aroma é quase tão antiga como a humanidade, mas é com a invenção do alambique que a extracção dos óleos pelo processo de destilação começa a ser realizada, dando origem aos óleos essenciais na forma como hoje os conhecemos. Ler artigo completo

A Camomila é uma planta herbácea anual, nativa dos Balcãs, que habita em campos, terrenos baldios e nas bermas dos caminhos.

Em Portugal encontra-se principalmente nos campos cultivados e searas do Centro do país e na região de Lisboa.

Camomila
Ilustração de Johann Georg Sturm (Colorida por Jacob Sturm).

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Asterales
Família: Asteraceae
Género: Matricaria

A Camomila (Matricaria recutita L.) ou Camomila-alemã é uma planta com 20 a 50cm de altura de caule glabro, erecto e muito ramificado. As folhas são verdes em lacínias lineares.

As flores são brancas liguladas na periferia e amarelas tubulares no centro dispostas sobre um receptáculo oco. O fruto é um aquénio arqueado e pequeno, encimado por uma coroa escariosa.

O nome Camomila vem do grego e significa “maçã da terra,” devido ao seu aroma intenso que faz lembrar este fruto.

Usos medicinais e princípios activos:

Rica em óleo essencial com camazuleno, flavonóides, cumarina, álcool, ácidos gordos, heterósidos, potássio e Vitamina C, é analgésica, antiespasmódica, annti-inflamatória, anti-séptica, emenagoga, eupéptica, sedativa e tónica.

Tradicionalmente usado para tratamento da dispepsia (má digestão), como calmante e para alívio de problemas menstruais.

É também usado como coadjuvante no tratamento da candidíase.

Estudos recentes sugerem a sua utilização como preventivo em pessoas propensas à diabetes.

Externamente é usado para tratamento de queimaduras solares e, em champô, para aclarar o cabelo.

Apenas deve ser consumida entre as refeições.

Usos culinários:

Não tem.

A Giesta-branca é um arbusto endémico da Península Ibérica que habita matas, urzais, margens de cursos de água e solos abandonados.

Encontra-se por todo o país.

Giesta-branca
Ilustração por Pierre-Joseph Redouté.

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Fabales
Família: Fabaceae
Género: Cytisus

A Giesta-branca (Cytisus multiflorus (L Hér.) Sweet) ou Maia é um arbusto com 1 a 3m de altura de caule muito ramoso. As folhas são simples na parte superior e trifoliadas na parte inferior. Cada folíolo mede menos de um centímetro.

As flores são brancas (é a única espécie de Giesta com as flores desta cor), em número de 1 a 3 na axila das folhas. Os frutos são vagens peludas com até 2,5cm de comprimento.

Melífera, é muito apreciada pelas abelhas.

Nalgumas regiões do nosso país existe o costume de, no primeiro dia de Maio, enfeitar as casas com os ramos floridos desta espécie, daí ser também conhecida por Maia.

Usos medicinais e princípios activos:

Ligeiramente tóxica, deve usar-se com moderação.

Hipoglicemiante, é tradicionalmente misturada com folhas de marmeleiro e oliveira para o tratamento de diabetes.

Usos culinários:

Não tem.