Saltar para o conteúdo

Notas do Herbalista 25: Salsa

Toda a gente a conhece e até Carlos Magno ordenava o cultivo da Salsa nos seus campos.

Em Portugal, quase todas as hortas têm um canteiro desta planta nativa da Europa Mediterrânica. Pode também encontrar-se espontânea e sub-espontânea.

Salsa
Ilustração por Franz Eugen Köhler.

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Apiales
Família: Apiaceae
Género: Petroselinum

A Salsa (Petroselinum crispum Mill.) é uma planta herbácea bienal que cresce até 25cm no primeiro ano e desenvolve um talo de flor com até 75cm de altura no segundo.

As folhas são verdes e muito divididas, as flores, dispostas em umbelas, são verde-amareladas. Os frutos são diaquénios ovóides de cor parda.

Usos medicinais e princípios activos:

A Salsa contém óleo essencial rico em apiol e miristicina, flavonóides e vitamina C. 5g de Salsa fornecem a quantidade diária de de provitamina A.

É estimulante, diurética, emenagoga e afrodisíaca.

As mulheres grávidas devem consumir Salsa com moderação. As doses habitualmente utilizadas em culinária não constituem qualquer risco, no entanto o consumo exagerado desta planta têm o efeito uterotónico, induzindo o parto.

Usos culinários:

Os usos culinários da Salsa são bem conhecidos na Cozinha Tradicional Portuguesa, dos guisados aos pratos de peixe e carne, passando pelos petiscos e omeletes.

Utilizada fresca, quem não tiver acesso a um canteiro para colher na hora de usar, pode congelá-la sem lhe alterar o paladar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *