Saltar para o conteúdo

Notas do Herbalista 87: Corriola

A Corriola é uma planta nativa da Europa e Ásia, mas que se espalhou por todas as zonas temperadas do mundo.

Encontra-se em terrenos de cultivo (cultivados ou não), muros, sebes, jardins, etc.

Corriola
Ilustração por Carl Axel Magnus Lindman.

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Solanales
Família: Convolvulaceae
Género: Convolvulus

A corriola (Convolvulus arvensisL.), é uma planta perene, trepadeira, enredando-se em estruturas ou outras plantas até 2m de altura, ou rasteira, cobrindo o solo. As folhas são verdes, pecioladas e em forma de seta.

As flores são brancas ou rosadas, por vezes com 5 raios mais escuros, solitárias, em forma de trombeta com um grande pedúnculo. O fruto é uma cápsula.

Espalha-se com muita facilidade, cobrindo o terreno e as outras plantas, sendo, por isso, detestada pelos jardineiros e hortelões. É uma das pragas mais difíceis de controlar.

Usos medicinais e princípios activos:

️️⚠Tóxica, utilizar apenas com acompanhamento especializado. Devem ser respeitadas as doses e durações do tratamento.

Rica em alcalóides (incluindo a pseudotropina), um glucósido resinoso, taninos e resina, é colagoga, diurética, laxante e fortemente purgante.
Utilizada no tratamento da prisão de ventre e de algumas febres.

É, também, usada para reduzir o fluxo menstrual excessivo e para a hipertensão.

Externamente utiliza-se em feridas e picadas de aranha.

Usos culinários:

⚠Tóxica, deve ser evitado seu consumo.

Apesar da sua toxicidade, é consumida como verdura ou em saladas nalgumas partes do mundo.

É, ainda, utilizada como aromatizante no licor Noyeau.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *