Saltar para o conteúdo

Notas do Herbalista 95: Estragão

O Estragão é uma espécie de Artemísia nativa da Sibéria que é cultivada em praticamente todo o hemisfério Norte, especialmente na França e na Rússia.

Estragão
Fotografia por Kenpei.

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Asterales
Família: Asteraceae
Género: Artemisia

O Estragão (Artemisia dracunculusL.), é uma planta perene com cerca de 1,2m de altura de caule herbáceo e ramoso. As folhas são verdes brilhantes, com 2mm a 1cm de largura.

As flores são amarelas ou verde-amareladas, dispostas em capítulos com até 40 flores. As sementes do Estragão são, geralmente, estéreis, reproduzindo-se através dos rizomas.

As duas variedades mais conhecidas são o Estragão Russo e o Estragão Francês, tendo esta última a particularidade de ser mais aromática e raramente produzir flores.

O nome dracunculus significa pequeno dragão, pelo que também é conhecido por Erva-dragão.

Usos medicinais e princípios activos:

Rico em óleo essencial e estragol, é antiespasmódico, anti-séptico, aperitivo, digestivo, emenagogo, estimulante e vermífugo.

Utiliza-se nas digestões pesadas, aerofagia e meteorismo.

É também utilizada para regulação dos períodos menstruais e para estimular o apetite

Externamente utiliza-se para as dores artríticas.

Usos culinários:

Para fins culinários é preferível utilizar a variedade francesa, visto ser mais aromática.

De aroma anisado é utilizado como aromatizante em vinagres e molhos, sendo essencial no molho béarnaise. É também parte das misturas de Ervas da Provença, Finas Ervas e bouquet garni.

É, também, utilizado em omeletas, saladas, pratos de aves e no Tabule.

Na Provença faz-se um licor de Estragão, que é uma especialidade regional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *