Saltar para o conteúdo

A Gilbardeira é um arbusto que cresce em bosques até 700m de altitude

Com as suas bagas vermelhas é bastante usada em decorações de Natal.

Gilbardeira
Ilustração por Amédée Masclef

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Asparagales
Família: Asparagaceae
Género: Ruscus

A Gilbardeira ou Gilbarbeira (Ruscus aculeatus L.) é um arbusto vivaz que forma moitas espessas. As suas folhas verde-escuras são falsas, sendo, na realidade, caules modificados, chamados cladódios. As folhas verdadeiras reduzem-se aos espinhos na ponta de cada cladódio. Ler artigo completo

“Se existisse algum remédio contra o poder da morte, o homem não morreria no jardim onde cresce a Salva.”

Estas palavras de Santa Hildegarda descrevem bem as propriedades curativas da Salva, cujo nome, derivado do latim salvare, também alude ao seu uso medicinal pelos romanos.

Salva
Ilustração por Franz Eugen Köhler

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Lamiaceae
Género: Salvia

A Salva (Salvia officinalis L.), também conhecida por Salva-das-boticas pelo seu uso em farmácia é um sub-arbusto de folhas verde-esbranquiçadas e aveludadas. As suas flores azul-violáceas, surgem no fim da Primavera. Ler artigo completo

A Tramazeira é uma árvore que cresce de 3 a 15 metros de altura. Comum nas zonas de montanha, encontra-se no nosso país nas regiões do Norte e Centro, sendo especialmente abundante na Serra da Estrela.

Encontram-se ao longo das estradas que atravessam os carvalhais e vidoais, especialmente nos locais mais chuvosos.

Tramazeira
Ilustração por Walter Müller

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Rosales
Família: Rosaceae
Género: Sorbus

A Tramazeira (Sorbus aucuparia L.), também conhecida por Cornogodinho, caracteriza-se pela sua casca lustrosa e pelas suas folhas compostas por 9 a 19 folíolos lanceolados e de bordas irregulares Ler artigo completo

A Oliveira é a árvore mediterrânica por excelência. Antigo símbolo da agricultura, as suas ramagens simbolizam a paz. Pensa-se que o Homem a utiliza há, pelo menos, 5000 anos.

Cultivada um pouco por todo o país, surge também de forma espontânea tomando o nome de Zambujeiro ou Oliveira-brava.

Oliveira
Ilustração por Franz Eugen Köhler

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Oleaceae
Género: Olea

A Oliveira (Olea europaeaL.) é uma árvore com 3 a 15 metros de altura e raízes profundas (até 6 metros de profundidade). Pode viver durante milhares de anos, existindo em Santa Iria da Azóia (Loures) uma Oliveira com mais de 2800 anos. Ler artigo completo

A edição desta semana das Notas do Herbalista é publicada no dia de S. Martinho, dia em que tradicionalmente se comem castanhas. Assim, debruçamo-nos hoje sobre o Castanheiro.

Originário da Ásia Menor, foram os romanos que o introduziram na Península Ibérica. O seu fruto rapidamente se tornou parte da alimentação de base do povo até à introdução da batata.

Castanheiro
Ilustração pelo Prof. Dr. Otto Wilhelm Thomé

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Ordem: Fagales
Família: Fagaceae
Género: Castanea

O Castanheiro (Castanea sativa Mill.) é uma árvore outrora comum na nossa paisagem, mas o avanço de outras espécies florestais, a doença da tinta e o abandono dos campos estão a fazer com que os soutos (para produção de castanha) e castinçais (para produção de madeira) estejam a desaparecer perigosamente. Ler artigo completo

A Rosa-canina é um arbusto, comum nos campos europeus, com 1 a 3 metros de altura que forma barreiras impenetráveis devido aos seus espinhos.

Os jardineiros usam-na para construir sebes, sendo também muito usada como cavalo na enxertia de rosas cultivadas.

Rosa-canina
Ilustração pelo Prof. Dr. Otto Wilhelm Thomé

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Angiospermae
Ordem: Rosales
Família: Rosaceae
Género: Rosa

A Rosa-canina, também conhecida como Rosa-de-cão ou Silva-macha (Rosa canina L.) é um arbusto com folhas alternas e grandes flores brancas ou rosa-pálido, com cinco pétalas, que florescem de Abril a Julho. Ler artigo completo

1

O Marmeleiro é um arbusto médio (ou pequena árvore) geralmente cultivado, embora ocasionalmente apareça subespontâneo.
Depois de termos falado do fruto, falamos hoje da árvore propriamente dita.

Marmeleiro
Ilustração por Franz Eugen Köhler

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Rosales
Família: Rosaceae
Género: Cydonia

O Marmeleiro, Cydonia oblonga Mill.,* é a única espécie do género Cydonia, o que significa que, embora seja parente da Macieira ou do Espinheiro-alvar, é uma planta com características únicas. Ler artigo completo

O Agastache-anisado é uma planta vivaz, originária da América do Norte, praticamente desconhecida em Portugal, embora seja um cultivo comum dos produtores de plantas para “chá”.

Agastache-anisado
Foto por R. A. Nonenmacher

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Lamiaceae
Género: Agastache

O Agastache-anisado (Agastache foeniculum (Pursh) Kuntze), também conhecido por Hissopo-gigante ou Hissopo-anisado (embora sejam muito diferentes dos verdadeiros Hyssopus) caracteriza-se pelos seus caules erectos que podem atingir 90cm de altura, grandes inflorescências de cor lilás, folhas verdes com o verso verde-prateado e pelo seu aroma forte a anis, que lhe confere um sabor adocicado. Ler artigo completo

A Equinácia é uma planta herbácea com flor, nativa da América do Norte, usada para reforçar o sistema imunitário. Em Portugal encontra-se apenas cultivada.

Equinácia
Foto por H. Zell

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Angiospermae
Classe: Eudicotyledoneae
Clado: Asterids
Ordem: Asterales
Família: Asteraceae
Subfamília: Asteroideae
Tribo: Heliantheae
Género: Echinacea

A Equinácia cresce de modo espontâneo nas pradarias da América do Norte, onde é uma espécie protegida, sendo cultivada também na Europa. A espécie mais comum, por ser a mais cultivada, é a Echinacea purpurea L.. Ler artigo completo

3

Iniciamos hoje uma rubrica regular sobre Plantas Aromáticas e Medicinais e os seus usos, e não há planta melhor para começar que o Espinheiro-alvar.

O Espinheiro-alvar é um arbusto, comum nas nossas florestas, que cresce em forma de pequena árvore com 3 a 8 metros de altura.

Embora acarinhado pelos que o conhecem, é muitas vezes considerado "mato" e cortado por ter espinhos. É, no entanto, uma das plantas medicinais mais conhecidas e documentadas.

Espinheiro-alvar
Ilustração pelo Prof. Dr. Otto Wilhelm Thomé

Ficha Botânica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Rosales
Família: Rosaceae
Género: Crataegus Ler artigo completo